fbpx
  • Home
  • >
  • Notícias
  • >
  • O que você precisa saber para gerar o MDFe sem dificuldades

O que você precisa saber para gerar o MDFe sem dificuldades

blog-extratta-artigo-mdfe

Quem trabalha com o transporte rodoviário de cargas sabe o quanto a atividade é burocrática. O Manifesto de Documento Fiscal Eletrônico, mais conhecido como MDFe, está na lista de obrigações a serem cumpridas antes de iniciar uma viagem.

 

Todas as mercadorias transportadas em território nacional passam por fiscalização e o manifesto eletrônico surgiu justamente para facilitar esse controle. Isso porque antes de 2014 todas as verificações eram feitas de forma manual.

 

Nos últimos tempos a tecnologia tem ganhado cada vez mais espaço. Ela veio para facilitar os controles e descomplicar a rotina das embarcadoras e transportadoras.

 

Quer entender mais sobre como gerar o MDF-e e o que deve ser informado nele? Fique com a Extratta neste conteúdo e leve credibilidade e segurança ao seu negócio.

 

 

Entenda o que é o MDFe

O Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais, resumido pela sigla MDFe, é considerado o principal documento fiscal para o transporte de cargas. Como o próprio nome já diz, ele é 100% digital.

 

O MDFe reúne as principais informações da Nota Fiscal Eletrônica (NFe) e do Conhecimento de Transporte (CTe). Ele é usado para regular os registros dos produtos que são transportados.

 

 

Quem precisa emitir

O documento deve ser emitido pelas empresas que fazem o transporte de cargas. O MDFe é obrigatório, tanto para as cargas remuneradas quanto à movimentação de mercadorias próprias.

 

Nele estão informações importantes como a origem e o destino da viagem, além dos dados sobre o veículo e seguro da carga. Resumidamente, o Manifesto é uma ferramenta prática que unifica as obrigações fiscais.

 

 

Como se adequar às exigências para o MDFe

Desde agosto está em vigor a cobrança pela obrigatoriedade da emissão do CIOT e do adiantamento do Vale-Pedágio Obrigatório (VPO). Essas exigências estão previstas na Nota Técnica (NT) 2021.002, que prevê novas regras para gerar o Manifesto Eletrônico de Documento Fiscal (MDF-e).

 

Agora, quem contratar os serviços de transporte de cargas de terceiros, terá que preencher os campos sobre o adiantamento do vale-pedágio obrigatório. Sem esse passo, não é emitido o MDF-e.

 

Na prática, sua empresa pode estar se deparando com erros no sistema na hora de gerar o MDF-. A Extratta separou as principais mudanças que você pode observar na hora de gerar o documento. Confira:

 

 

O que mudou com a Nota Técnica (NT) 2021.002

1. Rejeição 731: A categoria de combinação veicular deve ser preenchida para o grupo vale-pedágio.

2. Rejeição 732: CNPJ do fornecedor do vale-pedágio inválido.

3. Rejeição 733: CNPJ do fornecedor do vale-pedágio inexistente na base da ANTT. Em caso de rejeição ligue para Ouvidoria ANTT pelo número 166.

4. Rejeição 734: Rejeição: CNPJ / CPF do responsável pelo pagamento do vale-pedágio inválido.

Leia mais sobre a mudança da Nota Técnica

COMPARTILHE:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on linkedin